musicas.mus.br

Letras de músicas - letra de música - letra da música - letras e cifras - letras traduzidas - letra traduzida - lyrics - paroles - lyric - canciones - RAP DA ROçA - CAFé COM BOBAGEM - música e letra

Utilize o abecedário abaixo para abrir as páginas de letras dos artistas

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z

Rap da Roça letra


Co co co co
Co co co co
Co co co co merdaaaa
Uhhh! porcaria pisei di novo no piniquinho de prástico que minha vó me deu.
Mais um dia dessa existência mardita nesse sertão desgramado.
Zé firminu cê ta durmindo?
Ai é u xato du meu patrão.
To não sinho coroner tah na pricizança deu?
Né nada não so queria fazer uma rima.
Faze rima... esse sujeito pensa que nois é besta so.
Mais eu vo mostra pra ele que besta eu nun so mesmo.
Eu sei faze até rap.

(refrão) 2x
Esse rap foi feito em riba duma carroça.
Nun fala nada di nada é um rap da roça.

Meu nome é Zé Firmino, so fio do sordado, que agarro a força a doida du sobrado.
Cresci sem toma tody
Nunca andei de velotror
Nun bibi mursão escot
Nun tomei carcigenol
Crisi nu sufrimento
A misera mi sercava
Garrei pranta cebola
Ve si as coiza miorava
Mais a seca mato tudo
Tentei cria galinha
Us muleque pulo muro
E cumeu minhas bixinha( que sacanege mininu)
I nem usaro camisinha
Prantei a mão nun cara
que era fio du prefeito
Us puliça me espancaro
Nu aveso e nu direito
Tentei pranta manjoca
Nu terreno duma mulata
I ela olho minha prantinha
Mando ieu pranta batata
Eu pensei ehhh... a vida é um cão de saia
Pranta nun eh minha praia io vo mudar
Fui lah pru certão du quixado(zé zé..)

(refrão)
Por quer esse rap foi feito em riba duma carroça.
Nun fala nada di nada é um rap da roça.

Fui trabaia nun sitio
Di um dotor coroner
U sujeito era isquizito
Me fazia de muier(iiiiiiihhhh..)
Eu fazia obrigação
Era bom dona de casa
Mais a imaginação
Du sugeito crio asa
Pidia beju di língua(dano se)
Mais eu nun dava

Por quer esse rap foi feito em riba duma carroça.
Não fala nada de nada é um rap da roça
Essi rap eu iscrevi nu meio da minha palhoça fala nada di nada eh um rap da roça.

Teve um firme na cidade
De um tar de Lampião
Resorvi vira jagunço
Duis mai ruin desse sertão
Na primera dais tucaia
Pra mostra qual era mal
Avistei zé dais lacraia
Tasquei um tiro de sar
U mininu caiu morto
Durin nu mei da mata
Morreu todo sargadin
Por que tinha preção arta(vixe maria sacanage soh)
Mais eu como nun era um sugeito muito ruim ainda neh...
Troquei a carga da espingarda
Usei bala de liça
Veio dona Ermingarda
Cum balaio de lingüiça
Tasquei li um tiro certo
Na carcunda esquelética
A veia caiu morta
Pu que era diabetica(se eh ruim em Zé Firmino)
Haa.. eu num tinha bala dietética..

Café Com Bobagem - Letras

©2003 - 2018 - musicas.mus.br